segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

"eu queeeeero ser um missionáriooo"


Nesse exato momento tem um elder que eu nao conheço dormindo na minha sala/quarto. O companheiro dele esta no sofa lendo liahona. Estao lá a umas 4 horas. Eu to na cozinha vendo TV online, escrevendo e o Eric bagunçando tudo e mais um pouco.

Esses elderes estavam aqui para divisao com os elderes de Irati. O que esta dormindo tava passando muito mal e eu mandei ele deitar lá.

No Natal em Ponta Grossa os elderes de lá almoçaram conosco.
Meu cunhado é dono da casa vizinha da minha sogra, que está alugada para sisteres.
Então as sisteres foram la no natal para ligar pra suas familias.
E eu as vi a semaaaaana inteira.

é um tipo de home sick ao contrario sabe?

Missão é a coisa mais maluca e maravilhosa e fora do mundo que vc pode imaginar.
Tirando o lado espiritual da coisa, é como ir morar em um outro planeta com linguagem, rotina, assuntos, girias, relacionamentos diferentes.
Voce conta o tempo diferente, vc suporta coisas insuportáveis e nem reclama. Teu corpo fica um bagaço todos os dias. Muita gente te trata com hostilidade e vc se acostuma com isso.
Trabalha horrores com resultados mínimos.
Almoça na casa de desconhecidos todos os dias e come de tudo.
Nao assiste tv, nao ouve radio, nao paquera.
E AMA.

Com o encontro da missao nos EUA às portas, essa saudade aperta que chega a doer.
Que tempo BOM. Que tempo BOM.
Como é estranho pensar que não volta. Pensar que eu vivi isso parece que foi um sonho.
Já fui uma pessoa bem diferente. Sim, porque Sister Rebicki infelizmente não é Priscila Isabel Rebicki Prestes.
A Sister Rebicki tinha uma fé enorme. Não tinha preguiça de trabalhar. Fazia tudo como tinha que fazer, seguia as regras e fazia o que era mandado. Tinha uma conexão muito proxima com o Espirito Santo e conseguia ouvir bem claramente a sua voz. Uma hora de estudo das escrituras era pouco e passava voando. Andava o dia todo e não (quase não) cansava. Lavava roupa na mão. Não comia a noite. Era muito disciplinada. Tinha tantos sonhos.
Claro que eu trouxe muito da sister rebicki comigo, mas nao eh a mesma coisa.

TÔ TRUNK

5 comentários:

Patty disse...

Vou mandar o Jason ler o que voce escreveu Pri....Ele esta BEM nervoso...da pra perceber...um pouco de medo eu acho..medo do desconhecido...Ele tem tudo pra ser um maravilhoso missionario...espero que seja....Sei que voce foi.
Um beijo querida com saudades!

alainapaina disse...

Tambem estou trunky depois de ler isso!!!!! FICA AO MEU LADO...haha good times em Canela com voce!!! Realmente foi um tempo marvilhoso que nao volta. Agora estamos casadas com filhos...o tempo passa rapido!

Vem desfrutar do Amor de Deus disse...

Pri,
Entendo perfeitamente o que voce fala....nao por mim, mas porque tambem tenho um missionario retornado em casa. Tudo o que voce falou eu ouvi e escuto dele, e sim, o Elder Laurentino nao 'e o Diego, hoje entao estao todos Trunks..rsrsrsrsrs...mas eu sei que a essencia nao mudou e nem mudara, pois eu digo pelo Diego, esses dois anos foram realmente um tempo fora do planeta, onde se cria um mundo totalmente diferente do familiar, mas que no final valeu a pena...Ser missionario, apesar de toda dureza citada por voce 'e um previlegio que nem todos podem ter e essa 'e a grande diferenca.
Bjs carinhosos
Marcia

Fê!!! disse...

Eu queria ter feito missão...mas não deu tempo rsrsrs...

Pri...aproveitando da sua experiência em muitas alas...vc lembra de alguma atividade para professoras visitantes que foi assim...bemmmm legal???????

Mariela disse...

Oi Pri!
Saudade de ti.
ADOREI o post sobre misao. Admiro muito os missionarios e sisteres, e sei que sao protegidos e inspirados.
Beijinhos.