sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Dia 10

PARA O DIA 10, eu não consegui traduzir bem, mas é algo como, "algo que encheu seus olhos" na sua infância.
Acho que eu já falei sobre o palácio avenida. Sobre serenatas de natal. Um Natal que foi bem "emotivo" para mim foi o de 2007, meu primeiro como casada e o último com a vó Dalila. Eu passei o dia 24 nos meus sogros para poder estar com minha vó no dia 25 porque nós já sabiamos que o cancer nao tinha cura e nao a teriamos por muito mais tempo.
Foi no ano que o video abaixo foi feito, mas nao quero ninguém chorando, vamos ficar felizes pelas boas lembranças que construirmos e por termos o evangelho de Jesus Cristo que nos proporciona famílias eternas.

Nesse video a gente tinha acabado de cantar para eles e o vô estava cantando Lullai, uma canção polaca natalina, o bebe é o Adam da Mila.



video

Admiro MUIIIIIIIITO meus avós, tanto o vô Rebicki e a vó Dalila do video, como a vó Mathilde e o vô Enos...e morro de amor, a presença deles fazem parte da minhas lembranças de Natal na infância.
Dia 24 era o Natal na vó Mathilde com tooooooooooooooodos os netos. A Casa deles sempre tinha um baita pinheirinho e a vó fazia um saco com biscoitos de natal e balas para todos os netos. Era um Natal de muita musica, apresentações natalinas por família, esperar o papai noel, receber presentes, esperar todos receberem, esperar o Papai Noel sair e só entao abrir tudo rapidinho.
Depois ceia e brincar com os primos noite adentro.
Dia 25 era o dia dos avós Rebickis. Sempre com pernil assado feito no fogão a lenha, cajuzinho e muita cerveja caseira. A vó Dalila fazia um bonequinho de sonho de valsa para os netos, os presentinhos dela eram aqueles simples , uteis e cheios de amor e acertar o presente para eles era tarefa dificil.
Lá era o Natal de flores no jardim, muitas, uva nascendo nas parreiras, as vezes pessego, de esticar o colchao na grama e tirar uma sonequinha, de tios e primos e sooooooooono que veio da noite anterior...e depois, voltar para a casa do vô Enos e brincar ainda mais com os primos.

Agora eu começo a descobrir o que "os adultos faziam" enquanto a gente brincava, porque as criancas cresceram e vieram outras e o Natal continua uma delícia.

Mais serenata:


video

5 comentários:

A Casca da Cigarra disse...

Pri, estou gostando muito de ler este seu diário/memória...eu sempre vou lembrar de um Natal em que eu tinha uns cinco ou seis anos e fui levada à Loja Hermes Macedo para ver um presépio mecanizado...hahahaha, hoje seria de dar dó perto dos mega shows de Natal mas para mim, aquilo foi demais...depois de um tempão na fila ficar ali, vendo aquela mágica em movimento foi inesquecível. Beijão

Phoenix Luz-Costa disse...

Nossa Pri, to sem palavras com esse post! Muito especial, me veio todos esses mesmos sentimentos que voce falou, os cheiros, imagens e memorias de nossos nataias// Obrigada por compartilhar esses videos. Esse foi o meu 1 natal aqui, longe da familia, foi o mais dificil p mim, porque so conseguia imaginar oque todos estariam fazendo.. Amo minha familia(primos, avos, tios, irmaos, meus pais, meus in-laws...) Demais!!!! Bem que podiamos fazer magica eter denovo, TODOS reunidos num local so'! isso ha de acontecer!!!!

Audrey disse...

Familia eh tudo. Saudades...

Dadi disse...

Pô Pri , quer me matar?

Ricardo disse...

Para a casa da cigarra,


Que mega show de natal, que nada, nada se compara ao charme que tinha o natal de Curitiba na epoca principalmente este presepio mecanizado.