domingo, 16 de janeiro de 2011

Vila Palmira

Começou assim:

O cunhado do vô Enos levou ele para pescar.
O vô adorou a Vila Palmira, um lugar nascido na época do ciclo da erva mate no Paraná. Foi um porto de erva-mate. Quando meu vô descobriu, era uma vila, com uma casa aqui outra alí e um rio largo para pescar muitos lambaris.

PRONTO: Virou tradição de família.

A Vila é o nosso lugarzinho no meio do nada. Muitas aventuras já aconteceram lá. Muitas lembranças.
No começo todo mundo acampava em barracas na beira do rio. Depois compraram uma casinha, mas sem energia eletrica e sem banheiro. O banho era na bica com alguem espiando para ninguem ver.
Lembro-me de morrer de medo de fazer xixi naquele bucaco, ainda mais a noite que tinha que ir com a lanterna.
Os primos mais velhos eram os que nos levavam para as maiores aventuras na vila.
De manhã aquele breu, a neblina deixava tudo frio até umas 10 da manhã quando vinha um sol de lascar. Cedinho os homens saíam pro rio. Eu só ia quando saía o sol. E era um lambari atras do outro.
Na cozinha a vó comandava a cevada com o xis-palmira (pao frances amanhecido na chapa com margarina, chapa de fogão a lenha).
A noite a lua grande ia aparecendo atrás das árvores, espetáculo para ver da varanda. Quando não tinha lua melhor ainda, pq o céu fazia uma faixa branca de tanta estrela. Unico lugar onde eu vi mais de 5 estrelas cadentes em uma noite só.
Sempre tinha uma fogueira, no terreno do tio Enos que ficava do lado do vô. Eita vida boa viu?
O vô faleceu e a casa ficou com meu pai. A ultima grande reuniao de familia lá foi numa pascoa há uns 7 ou 8 anos atrás com quase todos os tios e primos.
Fora isso, eu sempre amei ir lá para refletir, ouvir só a natureza.
Dessa vez não foi diferente. Ficamos na casa do tio Enos porque era melhor para a mãe, foram 3 dias de PURA PAZ. Pra mim valeu pelas ferias inteiras.
E foi a primeira vez do Eric na Vila...e como ele curtiu.



O Eric ficou fascinado com os cachorros, cavalos, galinhas e gatos que apareciam. Esses porcos estavam em um banhado na rua para a Vila.
Lá ele podia ficar solto sem preocupação. Encontrou esse carrinho das primas e aproveitou. Ele carregava o dia todo. Dormia que era uma beleza.



As fotos acima e abaixo são do Rio Iguaçu. Tem uma balsa que o Seu Nelso cuida e atravessa desde que eu me conheço por gente. A mãe ficou tão feliz em estar lá que valeu todo o esforço.


TÔ MENTALMENTE MAIS LEVE. (Só mentalmente infelizmente)
Ai Vila, já tô com saudade!

3 comentários:

Mariela disse...

Que delicia essa agua!! Pelo jeito o Erik aproveitou!! Que bom ver a tua mae ali toda felizinha!
Beijoca!

Anônimo disse...

Priscilaaaaaaa, que delica a tua mensagem, amei, até me comovi com as lembranças... te amo...
da Tia Mirna

Rael Silva disse...

Prii, que delicia!

Como adoro calmaria! Eu sou uma velha...pra mim quanto mais calmo MELHOR! Quanto mais passarinhos, melhor!hhahaah

QUe vontade de pular nesse rio com vc!!!

Adorei seu comentarinho no meu blog!!

Beijosss