sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Regra dos 3 meses

O engraçado que ontem eu tinha pensado sobre o tema desse post e nem imaginava que hoje que eu ia precisar dele. Explico:

Na missão, a esposa do meu presidente me disse que toda mudança na vida, precisa de 3 meses para adaptação. Ela dizia:

- Chore, sinta dor, ansiedade e saudade. Eu prometo que em 3 meses vai passar.


Verdade. Em 3 meses eu já estava acostumada com a rotina e tudo fluiu.

Aí veio a volta para a casa. Voltar da missão é muiiiiiito muiiiiiito pior do que chegar lá. A vida se enche de um vazio tenebroso. Eu só pensava em missão e me senti completamente perdida. Mas passados três meses eu já não sofria tanto de saudade, voltei a estudar, conheci novas pessoas e as coisas fluiram.

Os primeiro meses do casamento são lindos e apaixonados e também cheio de brigas e suas deliciosas reconciliações.

 Com o nascimento dos filhos é o mesmo. Como são cansativos os 3 primeiros meses. Com o Eric nem tanto porque ele tomava complemento, pegou a chupeta e era um bebê come dorme, mas a Bianca e amamentar a Bianca foi um processo "deliciosamente" exaustivo para mim.


Mas passados os 3 meses eu tô no céu. Nessas horas que a gente entende porque acabamos tendo mais filhos. É mesmo delicioso ver o crescimento deles. Como ficam espertinhos, como reagem a gente, ve-los descobrindo o mundo, ganhando chuquinhas e perdendo cabelo. Nossa como está gostoso ser mãe e cuidar dos meus filhos.

E era isso que eu tinha imaginado postar ontem.
Até que


fui na APAE. Hoje foi dia de avaliação do Eric e foi bem emocionalmente difícil para mim. Só de entrar lá, meu estômago parece que quer sair pela boca, mas antes disse ele faz uns 3 nós que eu tenho que dar um jeito de entalar dentro do meu corpo.
Responder sim a maioria das sei lá, 60 perguntas é como receber uma martelada no coração só afirmando a "sentença" do autismo. E por mais que a gente saiba que ser atendido lá será uma benção, que ele vai poder deslanchar do desenvolvimento, ainda assim dói muuuuuuito muito. Mas não o tempo todo. Só em alguns momentos como esse. Na verdade o que me doeu mesmo foi ver um menino autista de 7 anos com os mesmos trejeitos que eu vejo e reconheço no Eric. Só que como o Eric ainda é um bebê, o que é de criança e o que é autismo se confundem e vendo o Vitor eu fiquei meio abalada. Fiquei pensando o porque isso nos causa tanta estranheza, porque o que não é normal sofre aos olhos.

E aí depois de chegar em casa e assumir minha fragilidade dentro da minha força eu lembrei

Que ainda não se passaram 3 meses do diagnóstico e que tudo irá fluir.

7 comentários:

Capistrano disse...

Esse foi um post deprê hehe.

Ingrid disse...

Aii Pri, nao sei o que falar... pois ao mesmo tempo em quero te confortar e dizer que com o Eriquito tudo sera diferente, sei que nao devo falar o que nao sei/sabemos...
Mas volta aquela historia, Amor sabemos que ele sempre recebera, principalmente desses pais maravilhosos, mesmo que esse amor esteja "escondendo" muitas lagrimas E o Senhor nao permitiria que acontecesse com voces se Ele nao soubesse que vcs podem suportar!
Amo voces!!!
Beijo!

Ellen Raquel disse...

Quando eu terminei de escrever o meu post, vi o seu e comecei a rir. 3 meses, com certeza. Concordo plenamente com você. Agora estou curtindo mais do que nunca ser mãe. Ainda fico bem cansada, mas já estamos mais adaptados e não estou mais tão exausta o tempo todo. E é verdade né...nós precisamos de tempo pra nos adaptar... E flor, não se preocupe, o Eric é tão fofo, e é um espírito incrivelmente amado pelo Pai também, sei que sabe disso.Como a Ingrid disse, não posso falar direito sobre algo que não conheço muito bem, mas o que eu sei é que você é maravilhosa e incrível, guria, e o Eric não podia ter pais mais maravilhosos e guerreiros. Nunca mais vou esquecer da regra dos 3 meses :) haha Beeeijo guria!

Memórias de uma Educadora Especial disse...

oi Pri, primeiro lugar, seu filho já tem um lugar garantido no reino celestial e ele veio ao mundo só para satisfazer as exigências da plano de salvação...isso já é motivo de muito orgulho pra tda a família...vc sabe que eu trabalho em uma apae e por isso eu faço idéia do que vc passou nesse dia, o que eu queria lhe dizer que claro, adaptações serão necessárias e estudos serão feitos, mas qdo virem os resultados..esses sim...ai que esperiência maravilhosa e indescritível, as coisas em sua casa terão novos valores, os pequenos momentos serão o bem mais precioso da família e o amor...esse sim, será entendido como a humanidade com certeza nunca imaginou, vcs viverão a essência do puro amor...ou melhor da expressão do puro amor!!! eu quero dizer que estarei sempre a disposição se eu puder ajudar em algo...e pra ligar com o tema do teu post, qdo tudo virar a rotina esse tal 3 meses serão esquecidos para sempre...amo vcss e amo mto o Eric já por toda a eternidade que nele flui...um bjo pra vcs!!

Mariela disse...

Aprendo TANTO!
Beijos.

Ana Farias disse...

Querida sábia sobrinha Priscila. Primeiro quero agradecer pela dica dos 3 meses, nunca vou esquecer, e concordo com ela,depois quero agradecer pela maneira madura, especial, espiritual que voce está encarando o problema do Eric. A maneira que voce está lidando com o problema, falando sobre ele, trabalhando, dialogando, estudando tudo isto te fará feliz, vai ajudar teu filho atingir o seu potencial máximo e vai fazer o Pai Celestial te dar um abração e muitas bençãos eternas.
beijos da tia Sônia

Ellie disse...

Uau!!Interessante o que escreveu. mas procure pensar sempre positivamente. Bjus