segunda-feira, 16 de abril de 2012

voltando do médico

Nunca na minha vida eu vivenciei um pesadelo como o dessa semana.
Mesmo recebendo notícias horríveis como o que aconteceu com minha mãe, com minhas tias, avós, mesmo qdo recebi o diagnostico do Eric ainda assim eu consegui ver tudo com fé, com força, com esperança...

Por isso quis dividir que mesmo tendo fé, esperança a gente tem que saber pedir ajuda médica.

Meu corpo todo saiu do eixo semana passada.

Eu tinha noção que estava descontrolada mas simplesmente não conseguia voltar ao normal.
Foram bençãos, inúmeras orações, idas ao médico e eu lutando contra mim mesma tentando forçar um "tá tudo bem", mas tendo que empurrar o corpo que parecia ser de um robo, como se um imã me puxasse pro chão.

Enfim, horrível, horrível....

Hoje eu já acordei mais forte só em saber que eu iria ao médico.

Vou tomar Fluoxitina 20mg e pedi encaminhamento para tratamento com psicólogo que eu sei que mal não vai fazer, pelo contrário.

E agora esperar que eu volte ao normal, pq eu quero voltar a ser eu. Mas acho que já estou aí 85%.

Mas esse é o recado. Eu não queria, mas ACONTECE.

5 comentários:

Kell e Well disse...

Pri... acho que você sabe que eu entendo o seu drama né? Devido aos meus problemas de saude. Eu me senti muito mal, algo incontrolavel e devastador, minha cabeça pensava em milhões de coisas ao mesmo tempo e só consseguia me consentrar nas ruins, isso por meses e meses.. até eu quase explodir.

Por mais que eu continuasse tendo fé e testemunho e sendo grata por tudo que possuo, ainda sim parecia que a angustia, dor, desanimo eram mais fortes do que eu e impossiveis de sobrepujar.

Os remédios fizeram uma diferença enorme, além disso, o apoio da familia e amigos foi fundamental.

Conversando com o médico ele disse que o remédio ajuda muito, mas tem coisas que estão incutidas na nossa personalidade e modo de ser, e que é o psicologo que vai ser a grande diferença em nossa vida.

Pri, você é forte, incrível e logo, logo, tua tormenta passa. Quanto mais cedo percebemos que não estamos bem, mais fácil e rápida é a melhora.

Hoje me sinto outra pessoa... quanta diferença, agora consigo sonhar e viver novamente.

Pri, to orando e torcendo por vc.
Te amoooooooooo Prima e continua firme o tratamento.

Mariela disse...

Pri, queria poder conversar mais sobre isso contigo, numa conversa mais pessoal. Nao sei se poderia te ajudar, mas talvez trocar algumas ideias.
Admiro MUITO tua coragem e força.
Beijos.

Mariela disse...

E ontem eu estava na casa da minha sogra olhando fotos antigas com a Alice e te vi em muitas fotos, do tempo de solteira. Pede pra alice mandar pra tiii!
Beijo

Adriana Bukowski Rebicki disse...

ai pri... eu te entendo...
não é a toa que veio à mim:
doença celíaca, psoríase, gastrite...
meu corpo atacando ele mesmo..

a gnt quer sair, quer sair... mas não vê a saída... não sabe como. mas tenha força. apegue-se à única coisa firmemente eterna e perfeita: CRISTO. Ele pode curar nossas feridas. te amo minha irmãzona linda. beijos

Priscilla Aquilini disse...

Pri, por muito tempo eu tinha a errada concepção de quem erm membro firme, com testemunho forte não precisava de psicologo que isso era para os fracos. E descobri, claro, que eu estava redondamente enganada. O pior e mais negro periodo da minha vida foi na missão. Eu posso dizer que ouvi Santanás falando comigo diariamente. Eu não tinha vontade nenhuma de sair da cama. Minha companheira sofrou um bocado, mas vamos dizer q ela foi paga na mesma moeda... ( era a dos Santos de novo...)Pra vc ter idéia, nem a minha parte da lição eu fazia. NEGROOOOOOOO MESMOOOOOO. Só fazia uma oração de meia duzia de palavras nas lições e olhe lá...Depois de ligar algumas vezes para o Presidente, e dele ter falado cmg algumas vezes, eu escutei a seguinte frase dele: Sister Machado, eu não sou um homem de ameaçar, eu aviso. E estou te avisando que se a Sister dos Santos me ligar mais uma vez, vc vai embora imediatamente pra casa, pq vc está doente.E missionário que está deonte dessa maneira vai pra casa curar isso em casa.
E eu não queria de maneira nenhuma voltar pra casa, as palavras carinhosas que minha mãe me disse ao me mandar pro CTM foram: Só volte antes de um ano e meio se for num caixão. rsrsrsrs, mas fora essas palavras extremamente ternas... rsrsrsrs, EU tinha me preparado pra servir numa missão desde os 7 anos e não ia deixar aquilo me vencer. Não foi rápido, eu precisei de ajuda de uma psicóloga, do pres da minha mãe ( sempre com palavras ternas... do tipo, para de ficar choramingo q essa não é a minha filha)ahhh o amor !! rsrsrsrs
Mas aos poucos consegui me libertar das garras daquele monstro horrivel que queria me destruir. Uma coisa eu aprendi Pri, é necessário que exista oposição em TODAS AS COISAS, depois disso pude me sentir cm Alma o filho, quando lembra sobre o Cristo que seu pai havia ensinado que redimiria a humanidade, e minha alegria foi indescritivel. Não tão rápido quanto Alma sentiu, mas aos poucos fui me sentindo livre dessa situação.

Uma cois eu sei; essa não é a Pri que eu conheço, vc é acima de tudo uma feroz batalhadora, então tenha calma, continue indo ao médico e continue tendo fé. Essas situações tem o poder de nos polir e nos fazer brilhar ainda mais, por isso são tão dificeis.

Amo vc, fica firme !!!

Meu mantra é: better times comes ahead. vi isso num video do seminario com 14 anos e ainda tem sido minha força motivadora.